O Peso das TI no orçamento das empresas
João Mota - CTO | CMO
As organizações que não investirem em TI correm o risco de perder a sua posição no mercado

Estamos a chegar ao fim do ano e os orçamentos e planos de ação para 2022 estão a ser trabalhados. É por isso tempo de relembrar a importância que a tecnologia tem nas organizações e aquelas que não investirem em TI podem tornar-se obsoletas.

Torna-se assim imperativo, principalmente depois do que aconteceu nos últimos tempos com a pandemia, que as empresas tenham um orçamento definido para o bom funcionamento da organização e isso passa por ferramentas e soluções que facilitem o trabalho diário e que mantenham os dados seguros.

Quer seja uma pequena, média ou grande empresa os recursos de TI têm de ser estudados e incluídos no orçamento como um plano para a continuidade do negócio, uma vez que trazem melhores condições de trabalho e tornam os seus colaboradores mais produtivos.

Com toda a transformação digital a entrar no dicionário das organizações, como assistimos no último ano e meio, o papel estratégico do setor das tecnologias de informação revalidou a sua importância. Ter um planeamento adequado à sua utilização, ajudará na capacidade de atuação dos seus colaboradores, melhorando a sua organização para que consigam dar uma resposta mais eficiente tornando assim a sua empresa mais competitiva.

À parte do acompanhamento da inovação, e dos processos mencionados, um bom parceiro de TI ajuda na proteção dos seus dados.

Várias empresas tiveram prejuízos financeiros e de credibilidade da sua imagem no mercado com a perda de informação, consequentes de todas as alterações ao modo de trabalho, à mobilidade exigida com o estado pandémico e com o recurso a aplicações que não foram validadas como seguras. É por isso fundamental que o seu orçamento contemple uma parcela para a cibersegurança.

Assim, e de forma que a sua empresa seja segura, moderna e competitiva o seu orçamento de TI deve ser ajustado às necessidades do seu negócio. Estas são algumas dicas que deve ter em consideração no seu plano:

  • Infraestrutura moderna, baseadas num misto com opções Cloud;
  • Implementação de políticas de segurança em todos os dispositivos;
  • Serviço de segurança para os postos de trabalho e servidores;
  • Serviço de segurança para a sua rede, permitindo um acesso seguro aos dados da sua empresa;
  • Serviço de cópias de segurança fiáveis, armazenadas em vários dispositivos. (Possibilidade num armazenamento imutável)
  • Serviço de Recuperação de Dados que corresponda às necessidades da organização;
  • Disponibilização de ferramentas colaborativas validadas como seguras pelo seu parceiro tecnológico;
  • Formação em cibersegurança para os seus colaboradores;
  • Serviços de monitorização em tempo real contra ciberataques e quebras de serviços, que possam prejudicar o funcionamento da sua empresa;

“De acordo com uma pesquisa recente da IDC, entre 2020 e 2023, o investimento direto das organizações em transformação digital aumentará 15,5% por ano, o que lhes permitirá adotar novos modelo de negócio digital.” Em 2022, “70% das organizações terão acelerado o uso de tecnologias digitais, transformando os processos de negócios para impulsionar o envolvimento do cliente, a produtividade do trabalhador e a resiliência dos negócios. “

Por isso, inclua investimento em TI no seu orçamento para 2022 porque a transformação digital já não é uma tendência, é uma imposição do mercado.

TAGS
VOLTAR
João Mota - CTO | CMO
Comentários
Adicionar comentário

Procurar

Categorias

Login

Recuperar password
client_name

BLOG ULTIMOS POSTS

O Peso das TI no orçamento das empresas
LER MAIS
Modernização? Sim, claro! E a segurança?
LER MAIS
O parceiro tecnológico ajuda no crescimento da sua empresa?
LER MAIS
Cópias de Segurança? Para quê?
LER MAIS





© 2019 Quantinfor. Todos os direitos reservados. Developed by Laranja Zen.