Um Caso de INSucesso
João Mota - CTO | CMO
Seja preventivo e não reativo

O ano de 2022 começou com a mediatização de grandes casos de ciberataques o que provocou um alerta generalizado nos líderes empresariais. Estas notícias fizeram com que muitas empresas tenham colocado a segurança como uma das prioridades nos seus planos de investimento. No entanto, a maioria continua a pensar que só acontece aos outros e infelizmente continuam a descurar a implementação de políticas de cibersegurança, e é nestas situações que acontecem os Casos de INSucesso.

Estes casos de INSucesso, infelizmente ocorrem com mais frequência do que seria esperado dado o tema da cibersegurança ser imprescindível ao normal funcionamento de todas as empresas

Se ainda está cético, vamos dar-lhe um exemplo prático do que pode acontecer. No passado mês de julho uma empresa que não era nossa cliente entrou em contacto com a Quantinfor e referiu que tinha sido atacada. Estavam parados e não conseguiam faturar. A primeira análise foi identificar qual o plano de cópias de segurança que existia, de forma a recuperar toda a informação. Apesar do mesmo existir e estar a funcionar, os atacantes conseguiram apagar todo o conteúdo, não sendo possível recorrer a esta forma de recuperação. Já numa situação limite falaram com os atacantes que pediram  um resgate de 50 mil euros para reaver todos os seus ficheiros. Este valor é bastante elevado para a maioria das nossas pequenas e médias empresas e como é normal a abordagem foi dizerem que não tinham possibilidade de pagar. Neste momento os atacantes  mostraram que aquilo que lhe estavam a dizer não era verdade uma vez que aquele valor seria uma pequena percentagem do que tinham faturado.

Este é o ponto em que não queremos que qualquer pequena ou média empresa se depare, ou seja, ter de negociar com terroristas, pois é única forma de recuperar anos e anos de informação critica e confidencial, bem como bases de dados de faturação e desenvolvimentos.

Deixamos-lhe alguns passos para que se torne um Caso de Sucesso, evitando a indisponibilidade do sistema em toda a infraestrutura da empresa:

  1. Ter uma infraestrutura moderna;
  2. Implementar políticas de cibersegurança em todos os dispositivos e nos postos de trabalho;
  3. Assumir comportamentos ciberseguros;
  4. Permitir que os seus colaboradores façam formação nesta área de forma a que sejam promotores da segurança dos dados;
  5. Ter um serviço de monitorização em tempo real contra ciberataques e quebras de serviços;
  6. Disponibilizar ferramentas colaborativas validadas como seguras;
  7. Ter um serviço de backup imutável de modo a que não seja possível alterar os seus dados;
  8. Por último, mas não menos importante, escolha um parceiro tecnológico que tenha um portfólio integrado de soluções para que haja uma otimização de custos.

Nesta temática, o trabalho tem de ser sempre preventivo e não reativo, só assim é possível evitar situações como o caso descrito acima e não incorrer em prejuízos astronómicos para a sua organização.

Relembramos que a Quantinfor dispõe de especialistas em cibersegurança que podem fazer uma análise à sua empresa de forma a perceber se está ou não vulnerável a um ciberataque. Se pretender, fale connosco. Envie-nos um email para ola@quantinfor.com

TAGS
VOLTAR
João Mota - CTO | CMO
Comentários
Adicionar comentário

Procurar

Categorias

Login

Recuperar password
client_name

BLOG ULTIMOS POSTS

Confiar ou não nos selos de email?
LER MAIS
Mobilidade e centralização de informação
LER MAIS
As férias e os dispositivos móveis
LER MAIS
Um Caso de INSucesso
LER MAIS


© 2021 Quantinfor. Todos os direitos reservados. Developed by Laranja Zen.